A Interlab sempre a Serviço da Comunidade Científica Nacional, edita trimestralmente o Boletim Informativo INTERNEWS, trazendo novidades da área científica e laboratorial. Para adquirir periódicamente seu exemplar, entre em contato conosco, cadastrando-se e passará a recebê-lo gratuitamente em seu laboratório ou residência, ou se preferir acesse-o através das páginas seguintes de nosso Site.

 

 


Micoplasmas Urogenitais
por Dra. Carolina G.Ynterian
 Em 1898 foi demonstrado o primeiro caso de infecção em bovinos. Em 1937 foi registrado o primeiro caso humano e mais tarde, em 1944 foi evidenciado como agente causador da Pneumonia Atípica Primária. Desde então, muito se tem feito para elucidar os micoplasmas e suas infecções no corpo humano.

Os micoplasmas são os menores microorganismos conhecidos de vida livre, filogeneticamente relacionados às bactérias gram-positivas. Atualmente, consideradas bactérias verdadeiras, muitas doenças sexualmente transmissíveis têm sido associadas com micoplasmas, dentre estes se encontram: Ureaplasma urealyticum e Mycoplasma genitalium com as uretrites não-gonocócicas no homem; Ureaplasma urealyticum com as epididimites e o Mycoplasma hominis com a doença pélvica inflamatória na mulher.

Levando em consideração os vários indícios de que o Mycoplasma hominis tem papel patogênico primário nos casos de doença inflamatória pélvica (DIP) aguda, pode-se considerar que tenha potencial para causar infertilidade. Estudos também mostram a participação do Mycoplasma hominis em certas alterações da flora vaginal, tendo sido isolado em aproximadamente dois de cada três pacientes com sinais e sintomas de vaginose bacteriana. O Ureaplasma urealyticum foi experimentalmente capaz de induzir alterações cromossômicas in vitro. A detecção do Mycoplasma hominis na maioria das mulheres com febre no período pós-parto sugere sua responsabilidade pelo quadro febril. M.hominis tem sido isolado do líquido amniótico de mulheres com severa corioamnionite, as quais evoluíram com febre, hipersensibilidade, fisometria e que subseqüentemente tiveram partos prematuros. A colonização vaginal com U.urealyticum está relacionada com fatores de risco para o desenvolvimento da síndrome da agressão da flora genital que está associada com aumento de risco de partos prematuros e de natimortos. Vários estudos envolvem o U.urealyticum e o M.hominis na síndrome respiratória de recém-nascidos sendo estas muitas vezes adquiridas no útero. Ambos também podem causar meningite no recém-nascido podendo ter tido início na vida intra-uterina.

Nos métodos utilizados para diagnóstico, as técnicas de cultivo são ainda utilizadas, porém, devido à complexidade e demora das mesmas, a Internacional Microbio, empresa pioneira no diagnóstico de micoplasmas, oferece kits de fácil manuseio e leitura para diagnóstico de micoplasmas urogenitais utilizando um sistema de enzima cinético patenteado n°5.091.307. Este sistema permite a observação do crescimento, a identificação, a enumeração e a resistência aos antibióticos dos micoplasmas urogenitais, isto é, Ureaplasma urealyticum e Mycoplasma hominis.

O tratamento dos micoplasmas urogenitais é possível inclusive durante a gestação, uma vez que estes estão relacionados com o prognóstico obstétrico. Porém, o rastreamento em gestantes é feito unicamente em casos com: cervicite produtora de abundante corrimento, sangramento persistente com ameaça de aborto no segundo trimestre, ameaça de parto prematuro e cervicodilatação precoce. Desta forma, muitas gestantes e neonatos sofrem quadros clínicos que poderiam ser evitados com um diagnóstico simples e precoce.

Ref.
Código
Descrição
Emb.
00030
4060100011
Mycofast Evolution 2
12 un
00034
4060100084
Mycofast Screening Evolution 2 Complement
12 un
00033
4060100023
Mycofast Screening Evolution 2
40 un

 



TESTES DIAGNÓSTICOS PARA HEPATITE C
O Diagnóstico da Hepatite C é problemático, novos testes estão sendo usados para poder direcionar o tratamento. Esta matéria é discutida neste trabalho da Escola de Medicina da Universidade do Texas, em Galveston. (10801)

Massilia timonae: Uma presença pouco usual em feridas infectadas.
O Hospital Westmead, na Austrália, discute a presença desta bactéria pouco conhecida em feridas após cirurgias ortopédicas. (10802)

MULHERES E AS INFECÇÕES POR HIV
O Hospital The Mariam, de Providence, Rhode Island, trata do crescimento acelerado de infecções diversas, especialmente das sexualmente transmitidas, em mulheres aidéticas. (10803)

SCHISTOSSOMA MANSONI EM PACIENTE AIDÉTICO
O Hospital Temple University, de Filadélfia, discute o caso de um paciente aidético com presença deste parasita. (10804)

GASES EM SANGUE E OUTROS PARÂMETROS NAS UTI
O Dr. Robert F. Moran, da mvi Sciences, de Massachussetts, discute as análises hoje disponíveis, e sua facilidade, para pacientes em UTI ou em estado grave. (10805)



MÉTODOS E SIGNIFICADO CLÍNICO DAS HEMOGLOBINOPATIAS
A Universidade Médica da Carolina do Sul, em Charleston, discute as metodologias laboratoriais e o significado clínico das mais comuns hemoglobinopatias. (10806)

TESTES BACTERICIDAS PARA TERAPIA ANTI-INFECCIOSA
A Escola de Medicina da Universidade do Northwestern, em Chicago, discute as últimas determinações do NCCLS sobre testes de Antibiograma, e algumas das modificações propostas. (10807)

ENDOCARDITE POR NEISSERIA SUBFLAVA COM HEMOCULTURA NEGATIVA
O complexo hospitalar Juan Canalejo, de La Coruña, Espanha, relata este caso bastante incomum desta endocardite por esta bactéria que está presente normalmente na mucosa bucal. (10808)

DETERMINAÇÃO DE ORGANOFOSFATOS NA URINA POR COLORIMETRIA DIRETA
A Faculdade de Medicina da Universidade de Hiroshima, no Japão, discute um método simples e rápido para determinar estas substâncias tóxicas na urina de pacientes. (10809)



PUBLICAÇÕES AOAC: CURRENT ISSUES IN REGULATORY CHEMICAL, Kack F. Kay, MacNeil e O'Rangers Editors, 2000, 270 págs, R$ 350,00.

QUALITY ASSURANCE PRINCIPLES FOR ANALYTICAL LABORATORIES, 3ª edição, Garfield, Klesta e Hirsch, 2000, 196 págs, R$ 350,00.

VISUALIZATION OF RECEPTORS IN SITU-APPLICATIONS OF RADIOLIGAND BINDING, Dr. Emmanuel Moyse e Dr. Slavica M. Krantoc, Nov 2000, 224 págs, R$ 359,00.

VIRAL PATHOGENESIS EN DIAGRAMS, Dr. Hans-Wolfgang Ackermann, Dr. L. Berthiaume e Dr. M. J. Tremblay, Out 2000, 256 págs, R$ 349,00.

 

  


PESTICIDE DERMATOSES
, Dr. Homero A Panogos, Dr. M. O'Malley e Dr. H. Maibach, Set 2000, 416 págs, R$ 359,00.

EMERGENCY ACTION FOR CHEMICAL AND BIOLOGICAL WARFARE AGENTS, Dr. D. Jank Ellison, Jan 2000, 152 págs, R$ 79,00.

FOOD PROCESSING TECHNOLOGY, PRINCIPLES AND PRACTICE, 2ª edição, P. J. Fellows, Julho 2000, 608 págs, R$ 259,00.

CEREAL BIOTECHNOLOGY, Peter Morris and James Bryce, Set 2000, 256 págs, R$ 559,00.

MANAGING FROZEN FOODS, Chris Kennedy, Julho 2000, 304 págs, R$ 559,00.


Uma publicação do GRUPO INTERLAB
Periodicidade Trimestral

Redação e Administração:
Pça Isaac Oliver, 342 - São Paulo - SP CEP 04330-130
Tel. (Tronco Chave): (011)5564-9500
Fax (Geral): (011) 5564-9501
Fax (Diretoria): (011) 5564-9596
Fax (Vendas): (011)5564-9558
e-mail: i
interlab@interlabdist.com.br
Site: www.interlabdist.com.br Escritórios: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Maceió, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís.

Editor responsável:
Dr. Pedro A. Ynterian Responsável Científica:
Dra. Carolina Gabriela Ynterian
Coordenação
:
Leonor Maria Ynterian

Editoração/Ilustração:
Izilda dos Santos Natal
Colaboradores:
Janice Tucci da Silva
Junca Harada
Maria Aparecida P. de Lima
Priscila Cardinali


Feca-Cult

O teste se baseia na atividade de peroxidase que a hemoglobina exerce, causando a oxidação de um composto fenólico ( ácido alfaguaiacônico) através do peróxido de hidrogênio, até uma estrutura de quinona. Sendo a estrutura da hematina similar à da peroxidase, é provável que essa fração de hemoglobina que cataliza a oxidação de guaiaco e a sua estabilidade seja atribuída a proteína a qual está unida.
No teste de guaiaco há alguns medicamentos orais como a aspirina e o ferro, ou preparações contendo os mesmos, como fenilbutazona, indometacina, etc, que podem causar uma irritação gastrointestinal e sangramento oculto em vários pacientes. Esses medicamentos não devem ser usados durante o período de testes.
A pesquisa deve ser feita preferencialmente em 3 amostras, colhidas em dias diferentes, a dieta deve ser seguida rigorosamente.
Já no Feca-Cult One Step,um teste imunocromatográfico não há a necessidade do regime alimentar.

Ref.
Código
Descrição
Emb.
158
1020500208
Feca - Cult
Pcte.10 un
9983-Y
1020501425
Feca - Cult One Step (dispensa dieta alimentar)
Pcte.10 un

O Feca-Cult foi desenvolvido para oferecer ao hospital, ao laboratório e ao médico, um método conveniente e rápido para o manuseio de amostras fecais, para a determinação de sangue oculto.
O teste é útil no diagnóstico das lesões da mucosa do trato digestivo, desde lesões do esôfago e estômago até patologias dos cólons .
O exame é usado como triagem no diagnóstico precoce do câncer dos cólons em indivíduos acima dos 40 anos.
O Feca-Cult tem como característica um papel de filtro para eletroforese especial impregnado com guaiaco, e desde que o guaiaco não esteja em solução, ele permanecerá estável indefinidamente.

Ponteiras

A INLAB possui uma ampla linha de ponteiras que são elaboradas para garantir a mais alta qualidade e confiabilidade, sendo adaptáveis a vários tipos de pipetas das mais diversas marcas, em econômicos pacotes de 1000 unidades ou em racks autoclaváveis que ajudam na organização e armazenamento das ponteiras, facilitando muito na hora do seu manuseio.
Segue abaixo a tabela com todos os tipos de ponteiras e à quais micropipetas se adaptam.
Estamos com uma grande promoção de ponteiras amarela universal 912 (1-200µl).
Fizemos uma grande compra deste modelo de ponteira, por isto, o nosso preço está imbatível.
Aproveite, pois em breve a promoção pode acabar. Consulte o nosso departamento de vendas para maiores informações.

Ref.
Código
Descrição
Emb.
De Uso
910
1020400194
Ponteira
Cor Natural 910
(1 - 200 µl)
pct c/ 1000
Micropipeta Oxford
Série 7000 e 3000
400
1020400121
Ponteira
Amarela Universal
912
(1 - 200 µl)
pct c/ 1000

Multicanal, Benchmate, Pipetman, Eppendorf, MLA, Octapette, Titertek, Socorex, Wheaton, Finnpipette

399
1020400186
Ponteira
Amarela Universal
912
(1 - 200 µl)
960 em racks
9142
1020400198
Ponteira
Azul Universal
(200 - 1000 µl)
pct c/ 1000
Multicanal, Benchmate, Pipetman, Eppendorf, MLA, Octapette, Titertek, Socorex, Wheaton, Finnpipette

Uma Revolução em
Diagnósticos

Sabe-se que as infecções urinárias estão entre as enfermidades mais frequentes na prática médica, sendo que o sexo feminino é o mais afetado.
Intensas investigações sobre as infecções do trato urinário estão sendo realizadas para definir melhor a história natural, a patogênese, o tratamento e a prevenção dessas doenças.
As infecções urinárias se iniciam normalmente com uma cistite (infecção do trato urinário inferior). Uma demora no seu diagnóstico pode levar à infecção do trato urinário superior, acometendo os rins do paciente.
Para um diagnóstico rápido, preciso e eficaz dessas infecções, a International Microbio criou um linha de produtos que fornecerá os resultados em apenas 4 horas.
A partir de um tubo de Screen Gel Uri, é possível realizar a identificação, a enumeração e o antibiograma dos principais microorganismos causadores de infecções urinárias em apenas 4 horas.
Screen Gel Uri: a partir desse tubo é possível realizar uma identificação rápida das bacteriúrias através de um microcultivo sensi-bilizado e um substrato cromogênico, presentes na fase gel do tubo.
Id Direct Uri: é um kit utilizado para realizar a enumeração e a identificação da maioria dos microorganismos causadores de infecção do trato urinário, em uma única bandeja, diretamente da urina do tubo de Screen Gel Uri.
Urifast: é um kit utilizado para o estudo da sensibilidade das bactérias, diretamente da urina do tubo de Screen Gel Uri.

Ref.
Descrição
Emb.
22250
Screen Gel Uri
50 un
22231
Id Direct Uri
30 un
22218
Urifast
50 un


Identificação de Anaeróbicos
Crystal Anaerobe


   
Os microorganismos anaeróbios estão largamente distribuídos na natureza, podendo ser encontrados no solo, água, alimentos e animais. Nos humanos, bactérias anaeróbias são normalmente encontradas na cavidade oral e trato gastrointestinal .As bactérias anaeróbias podem ser classificadas baseando-se em sua habilidade de formar esporos , nas caractéristicas observadas na coloração de gram, produção de pigmento e hemólise dentre outras.
Sua identificação se faz essencial, principalmente porque estas infecções estão associadas a altos índices de mortalidade e o tratamento varia de acordo com a espécie envolvida. A antibioticoterapia para certas infecções anaeróbicas é diferente da empregada para muitas infecções causadas por aeróbios, ou anaeróbios facultativos.
Atualmente a maioria das infecções causadas por anaeróbios são atribuídas aos gêneros Bacteroides sp, Fusobacterium sp, Peptostreptococcus sp e Peptococcus sp.
Bacteroides fragilis é particularmente importante porque pode ser isolado de uma grande variedade de infecções e é resistente a penicilina, tetraciclinas e aminoglicosídeos.
Espécies de Clostridium sp são recuperadas de infecções clínicas com menor frequência, mas podem ser responsáveis por várias complicações. Clostridium perfringens é comumente associado com gangrena gasosa; é habitante do intestino e sabe-se que vários alimentos podem ter pequenas quantidades de Clostridium perfringens tais como carnes, alimentos prontos, sopas, molhos e condimentos.
Outros microrganismos anaeróbicos como o Propionibacterium acnes , usualmente contaminante em amostras clínicas, têm sido recuperado de casos de endocardite associado com implante de válvulas.
Os cocos anaeróbicos mais comumente encontrados em espécimes clínicos incluem Peptococcus sp e Peptostreptococcus sp.
Coleta de material para pesquisa de anaeróbios:
Sob suspeita de infecção causada por microorganismo anaeróbio devemos evitar a coleta com swabs, pois o mesmo pode expor o material por longo tempo a presença de Oxigênio, entre outros inconvenientes. A coleta da amostra com seringa e agulha deve ser o método de escolha.
Bacterioscópico e Cultura:
Uma boa coloração de gram pode trazer informações importantes
- coloração irregular,
- presença de vacúolos,
- esporos e etc.
Para a cultura recomenda-se a utilização de meio de cultura como o Anaerobic Agar suplementado com Vitamina K, Hemina e sangue de carneiro . Outra boa opção é o Schaedler Agar, também adicionado de sangue. O material deve ser semeado em duplicata e incubado em atmosfera aeróbica e anaeróbica para classificação em anaeróbios obrigatórios ou facultativos.
Identificação:
O Crystal Anaerobe é um sistema de identificação composto por 20 testes. Cada teste é composto por uma tampa, uma base e um tubo com fluído para inoculação. O microorganismo a ser identificado é inoculado no tubo com fluído, e este fluído é usado para preencher a base do Crystal Anaerobe, onde a tampa é encaixada ( na tampa estão as provas bioquímicas).
Após o período de incubação ( 4 horas a 35ºC), os orifícios são examinados quanto a alteração de cor ou presença de fluorescência que sejam resultantes das atividades metabólicas dos microorganismos.Os diferentes padrões de cor revelarão através de um código o nome do microorganismo.

Gêneros e espécies identificadas no Crystal Anaerobe:

Gênero
Espécie
Bacteróides
caccae, distasonis, eggerthii, fragilis, ovatus, stercoris, thetaiotaomicron,uniformis, vulgatus, levii, splanchnicus, capillosus, gracilis,ureolyticus
Capnocytophaga
Capnocytophaga sp
Prevotella
corporis, denticola, intermedia, loescheii, melanimogenica, bivia, buccae, buccalis, isiens, oralis, oris,veroralis,
Porphyromonas
asaccharolytica, endodontalis, gingivalis
Tissierella
praeacuta
Bilophila
wadsworthia
Desulfomonas
pigra
Desulfovibrio
Desulfovibrio sp
Campylobacter
curvus, rectus
Fusobacterium
gonidiaformans,mortiferum, necrophorum, nucleatum, russii,varium
Leptotrichia
buccalis
Clostridium
baratii, beijerinckii, bifermentans, botulinum, butyricum, cadaveris, clostridioforme, diffcile, glycolicum, hastiforme, histolyticum, innocuum, limosum, novyi, paraputrificum, perfringens, putrificum, ramosum, septicum, sordellii, sphenoides, sporogenes, subterminale, tertium, tetani
Actinomyces
bovis, israelii, meyeri, naeslundii, odontolyticus, pyogenes, viscosus
Bifidobacterium
adolescentis,dentium
Eubacterium
aerofaciens,lentum,limosum
Mobilluncus
curtisii, mulieris
Propionibacterium
acnes, avidum, granulosum, propionicum
acidophilus, casei, catenaforme, fermentum, jensenii, johnsonii, minutus,rhamnosus.
Veilonella
Veilonella sp
Gemella
morbillorum
Peptostreptococcus
anaerobius, asccharolyticus, indolicus, magnus, micros, prevotii, productus,tetradius

 

CÓDIGO
DESCRIÇÃO
EMB.
4345001
Crystal Eletronic Code Book
2 disquetes
4345010
Crystal Anaerobe
20 testes
0536-17
Anaerobic Agar
500 g
520090
Vitamina K e Hemina
5 ml
0403-17
Schaedler Agar
500 g
4360626
Jarras Gaspak
1 jarra
4371040
Envelope gerador de Anaerobiose Gaspak Plus
10 envelopes
4370504
Tiras indicadoras de Anaerobiose Anaerobic Indicator
100 tiras

 

Dermatófitos:
Qual o melhor meio para pesquisa ?

   Com a chegada do verão chegam também as micoses. É nesta época que os consultórios dermatológicos ficam apinhados, pois pés, braços e pernas estão à mostra. Consequentemente, os laboratórios recebem inúmeros pedidos de culturas para fungos: são fragmentos de pele, pêlos e unhas, que após pesquisa com KOH 10% devem ser colocados em cultura.
Os dermatófitos são fungos queratinofílicos capazes de invadir tecidos com queratina em animais vivos.Estão agrupados em três categorias:
- Antropofílicos: São as espécies que infectam os homens: Ex. Epidermophyton sp
- Geofílicos: São as espécies associadas com o solo, e este é geralmente a via de infecção do homem. Ex. Microsporum gypseum
- Zoofílicos: São patógenos principalmente para animais, mas a infecção animal-homem é citada. Ex. Microsporum canis, Trychophyton equinum
Pesquisa:
A área a ser colhida deve ser limpa com água estéril e em alguns casos com álcool 70% (somente o álcool isopropílico é ativo contra fungos). O material para coleta deve constituir de pinças estéreis (para fios e pêlos), lâminas de bisturi e/ou alicates (para raspagem de unhas) e placas de petri estéreis (ou similar). Em lesões de pele é recomendado que se colha das bordas da lesão. Em lesões de unha o conteúdo subungueal é rico em estruturas fúngicas . Uma parte do material colhido deve ser observado ao microscópio, entre lâmina e lamínula com KOH 10% aquecido ligeiramente em chama . A outra parte deve ser colocada em cultura.
Cultura:
Númerosos meios de cultura têm sido propostos para a pesquisa de fungos. O mais famoso - Sabouraud Dextrose Agar- tem sido usado mundialmente na pesquisa de fungos patogênicos. Quando deseja-se pesquisar dermatófitos, recomenda-se a utilização concomitante de Saboraud Dextrose Agar com Agar Mycobiotic ou Agar Mycosel (também conhecidos como Sabouraud com cloranfenicol e ciclohexamida). Os Ágares Mycobiotic e Mycosel inibem o crescimento da maioria das bactérias, bem como de fungos saprófitas.
Outro meio bastante utilizado é o Dermatophyte Test Medium (DTM).

.

   A principal vantagem em sua utilização é o rápido crescimento de dermatófitos (3 a 6 dias) com viragem de cor do meio de amarelo para vermelho. Esta formulação não contém antibióticos, mas pode-se acrescentar 0,1 g de gentamicina e/ou clortetraciclina, por litro de meio.
Identificação:
A identificação dos fungos é baseada nas características da colônia:
- cor da superfície e reverso da colônia, textura (pulverulento, cotonoso, etc) e topografia (elevação, margens).
- aspecto microscópico do microcultivo.
Microcultivo:
Após o crescimento fúngico podemos realizar o microcultivo para pesquisar estruturas microscópicas que podem nos auxiliar na identificação.
Para a realização do microcultivo um "pedaço" (2 x 2 cm)de Agar Batata (Potato Dextrose Agar) é colocado sobre uma lâmina de vidro estéril. Deve-se semear uma pequena quantidade de fungo na superfície do meio, cobrindo com uma lamínula. Esta lâmina deve ser colocada dentro de uma placa de Petri, com câmara úmida (que pode ser feito com um pedaço de papel de filtro umedecido).
Depois de 3 a 5 dias, a lamínula que cobria o pedaço de ágar, deve ser retirada. Adicionando-se uma pequena quantidade de Lactofenol Azul Algodão a uma lâmina limpa, coloca-se a lamínula que foi retirada do microcultivo e leva-se ao microscópio para pesquisa das estruturas ou órgãos de reprodução.

REF.
DESCRIÇÃO
EMB.
0689-17
Agar Mycobiotic
500 g
4311462
Agar Mycosel
500 g
0109-17
Sabouraud Dextrose Agar
500 g
0013-17
Potato Dextrose Agar
500 g
12330
Dermatophyte Test Medium
500 g
3340
Azul Algodão
25 g
4320
Gentamicina Purex
1 g
BTR 002
KOH 40 %
10 ml
Panótico Rápido
A rapidez diferencial na Hematologia
Os laboratórios de hoje têm a constante preocupação de estarem aprimorando os seus recursos técnicos na intenção de conquistar cada vez mais o seu público. Para isso, contam com toda uma infra estrutura que começa na sala de espera, com toda uma mesa de café e guloseimas, computadores com etiquetas de entrada, resultados e laudos, até toda a automação nos procedimentos e técnicas implantadas. E a fim de dinamizar a rotina e evitar toda a sujeira no preparo das colorações, a Laborclin colabora para essa modernização com o Panótico Rápido.
É um conjunto de corantes idealizado para a coloração rápida de lâminas hematológicas visando o diagnóstico diferencial de leucócitos e uma observação preliminar do número de plaquetas. Em apenas "15 segundos", as estruturas celulares se coram em diferentes tonalidades de coloração, variando entre o azul e o vermelho, permitindo a identificação das células sanguíneas bem como a diferenciação entre elas.
Excelente para laboratórios ambulatoriais ou casos de emergência.

CÓDIGO
DESCRIÇÃO
EMB.
1030102005
Conjunto Panótico Rápido
3 x 500 ml
1030102017
Corante nº 1 Panótico
1 x 500 ml
 


 Diabetes
5 milhões de brasileiros não sabem que têm

    O Diabettes Mellitus é uma patologia de caráter crônico de etiologia múltipla caracterizada por hiperglicemia, glicosúria e um amplo espectro de manifestações clínicas e patológicas, abrangendo complicações vasculares e neuropatias.
Vários processos podem causar o estado diabético. A gravidade dos sintomas dependerá principalmente do grau de deficiência da ação insulínica. Tipicamente, o diabético está exposto a um risco permanente de sofrer uma retinopatia ou nefropatia progressiva, lesões dos nervos periféricos (neuropatia) e aterosclerose grave do coração, pernas e cérebro.
Um controle rígido do nível glicêmico reduz significativamente o desenvolvimento dessas complicações.
A validade e a importância dos testes laboratoriais para o diagnóstico precoce e seguimento de pacientes diabéticos é atualmente muito clara e bem definida.
Hoje, hiperglicemia sintomática, cetoacidose ou hiperglicemia não cetônica são as fontes de um diagnóstico positivo de Diabettes Mellitus. Em pessoas assintomáticas, o "National Diabetes Data Group" determina que pacientes com níveis maiores ou iguais à 140 mg/dl, sejam submetidos ao teste oral de tolerância à glicose (TOTG) ou curva glicêmica.
O TOTG consiste em ofertar ao paciente "glicose pura" via oral. Muitas condições, além do Diabettes Mellitus e drogas, podem interferir neste teste, fazendo com que este tenha dado lugar à determinação da concentração de glicohemoglobina no sangue.
As determinações das hemoglobinas glicosiladas são muito utilizadas no controle metabólico da doença.
Recordando que a molécula de hemoglobina está essencialmente confinada ao eritrócito, indivíduos diabéticos, que apresentam níveis glicêmicos elevados, apresentarão uma maior proporção de sua hemoglobina glicada, por disponibilizarem de um dos reagentes, a glicose, em abundância para a reação de glicação.

    O teste de glicohemoglobina determina a concentração da hemoglobina glicosilada no sangue nos três meses anteriores à coleta da amostra, servindo desta forma para diagnóstico, assim como um controle a longo prazo.
Hoje, para um diagnóstico preciso da doença recomenda-se o uso de ambos os testes:
* Glicohemoglobina Monoteste - kit para a determinação de hemoglobina glicada, onde a resina de troca iônica está pronta para uso, sem a interferência da temperatura.
* Glutol - glicose pura, aromatizada em vários sabores para a realização da curva glicêmica.

Teste Oral de Tolerância à Glicose - Laborclin
Sabor
Embalagem
Ref.
Código
Glutol Líquido
Cola
Pcte c/ 3 un
610665
1030900098
Guaraná
Pcte c/ 3 un
610666
1030900116
Glutol em Pó
Limão
Cx c/ 5 envelopes
610120
1030900937
Tangerina
Cx c/ 5 envelopes
610123
1030900939
Uva
Cx c/ 5 envelopes
610122
1030900938
Limão
Pote c/ 600 gr
610125
1030900936
Teste de Glicohemoglobina - Inlab
Glicohemoglobina Monoteste
50 x 3 ml / 50 testes
9920
1020501092
Controle Normal / Anormal
2 x 1 ml
9953
1020501160

 




Linha Digimed


A Interlab em parceria com a Digimed põe a disposição uma ampla linha de
equipamentos nacionais de qualidade que oferecem calibração automática e display iluminado, para a área laboratorial, dentre estes estão:
pHmetro - ref.: DM20 - DM21
- Resolução automática
- Reconhecimento de ânion ou câtion
- Reconhece tampão.
Fotômetro de Chama - ref.: DM61
- Leituras simultâneas de NA, K, Li e Ca
- Câmara e queimador desmontáveis
- Desligamento automático de chama

Veja a edição anterior (Outubro, Novembro, Dezembro/2000)>>>>